Notícias e Informativos

“Abril Laranja”: mês de prevenção contra a crueldade animal

                              “Abril Laranja”: mês de prevenção contra a crueldade animal

 

No “Abril Laranja”, mês dedicado à Prevenção contra a Crueldade Animal, o Centro de Acolhimento Transitório de Animais (CATA), localizado no Sítio Tapera, em Cancelinha, município de Esmeraldas, já é referência no combate aos maus-tratos contra os animais, crime previsto na Lei Federal nº 14.064/2020. O CATA é resultado da parceria entre a Secretaria Municipal de Agricultura, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e a Secretaria Municipal de Saúde.

O Centro de Acolhimento possui 229m2 de área construída, sendo 150m2 destinados ao canil, com vistas à construção de um gatil. Os felinos também podem ser levados por seus protetores ao Centro de Acolhimento para a realização da castração. “O procedimento é muito importante pois contribui para o controle populacional de cães e gatos, evitando-se muitas doenças”, afirma a coordenadora do Centro de Acolhimento e Referência Técnica do Serviço de Zoonoses, Roberta Pereira.

Segundo Roberta, após acolhidos, os animais recebem os primeiros socorros sendo castrados e, em seguida, são “microchipados” - introduz-se um chip codificado, contendo todas as informações dos animais, que permanecem no CATA, Centro Transitório - assim denominado por não se tratar de um abrigo, mas uma Unidade de Acolhimento, no período de sete a dez dias, para observação e cuidados no pós-operatório, sendo devolvidos ao seu local de origem ou adotados, quando restabelecidos.

A Prefeitura de Esmeraldas contratou uma clínica veterinária em 11 de fevereiro deste ano, a fim de reunir esforços para intensificar as castrações desses animais. Até janeiro de 2023 estima-se realizar cerca de 480 procedimentos.

Além das castrações, o CATA realiza, atualmente, o recolhimento de animais agressivos de rua, mediante boletim de ocorrência sobre os ataques e mordeduras e laudo médico comprovando o atendimento à vítima, bem como o recolhimento de animais fraturados, vítimas de atropelamentos ou feridos que necessitem de atendimento veterinário.

Quanto aos cães com doenças, como Leishmaniose, o recolhimento ocorre mediante resultados de exames laboratoriais ou por laudo apresentado pelo proprietário ao órgão competente. No caso de felinos que testarem positivo para esporotricose, doença causada por fungos e que pode levar à morte, o recolhimento será realizado após a realização de laudo médico veterinário, indicando-se a eutanásia.

Com intuito de diminuir a incidência de cães de rua, o município tem realizado campanhas educativas, a fim de conscientizar a população sobre o abandono de animais, crime previsto na Lei Federal nº 14.064/2020, com pena de detenção de até cinco anos.